ótimomáximo

Data: De 13/03 a 14/03

Horário: 20:00 às 21:00


Espetáculo circense resgata inquietação e idealismo

Sucesso de público em sua estreia, em novembro do ano passado, o espetáculo ÓTIMOMÁXIMO foi criado sob a direção do coletivo Instrumento de Ver, durante a oficina montagem proposta pela gestão do IBC, no Espaço Cultural Renato Russo, em 2019. Agora o espetáculo retorna ao espaço com apresentações nos dias 13, 14 e 15 de março, trazendo o circo e a literatura caminhando juntos em uma ode à rebeldia e à utopia, presentificadas por meio do corpo e da poesia.

Com as apresentações de estreia com casa lotada e a conexão artística estabelecida, o núcleo criativo, agora celebrado como Luneta, segue em 2020 focando no aprimoramento e construção do espetáculo amadurecido em nova fase, amadrinhado pelo Instrumento de Ver, depois do ano de forte convívio. ÓTIMOMÁXIMO é a primeiro encontro do jovem núcleo criativo, que já tem outros projetos sendo preparados para este ano.

O espetáculo busca levar o público a um estado de esperança em relação aos tempos atuais, idealizando uma utopia que subverte a realidade e a transcende - um local cheio de adjetivos e que não se toca o chão. O inusitado da utilização de objetos ordinários para fazer acrobacias e malabares causam um estranhamento, mas também pertence ao domínio do que é belo.

Com onze artistas em cena, ÓTIMOMÁXIMO traz a potência da linguagem do circo em sua variedade, com muita acrobacia, malabarismo e coletividade, resultado de uma pesquisa que durou seis meses de encontro entre artistas com diferentes experiências. Inspiradas no livro “O Barão nas Árvores”, de Ítalo Calvino, as diretoras Beatrice Martins e Julia Henning propõem uma circografia que contorna os espaços entre a resistência e o idealismo. “A construção cênica se alimenta da ideia de um espaço de inquietação, que se localiza entre a certeza dos pés no chão e o idealismo de um mundo cheio de poesia e adjetivos, criado a partir de uma realidade de resistência, um lugar utópicotropical superlativo de esperança para os tempos atuais”, explica Julia Henning.

O coletivo Instrumento de Ver vem inventando e reinventando jeitos de criar desde 2002, lidando com as mais diversas facetas da produção cultural e da criação artística. O grupo tem o processo de criação como fonte de inspiração, como caminho e como fim. Além dos espetáculos, que circulam por festivais de todo o Brasil, criam e produzem projetos culturais únicos que proporcionam experiências originais ao público. Como artistas produtivos e produtores criativos, defendem a gestão criativa em rede, sob o prisma de não dissociar o fazer artístico da gestão cultural. Em 2018 inaugurou o Galpão Instrumento de Ver, na Vila Planalto, no coração de Brasília, voltado para ser um espaço multiuso, sede do coletivo e preparado para receber as artes do circo e do movimento. É lá onde se reúnem, agora, os artistas do Núcleo Criativo Luneta e outros diversos projetos.

Ficha técnica: 

Direção de Beatrice Martins e Julia Henning

Com Bela Levi, Betu Souza, Bruna Luiza, Davi Maia, Iacy Mesquita Coello, João Gabriel Aguiar, Laura Ramalho, Lucas Lírio, Ludmila Condé, Mariana Camargo e Tassiana Rodrigues..

Criação e Operação de Luz de João Dimas Zerbini

Realização do Coletivo Instrumento de Ver e Núcleo Criativo Luneta

Serviço

Data: 13, 14 e 15 de Março

Horário: sexta e sábado às 20h, e domingo às 19h

Ingresso: R$ 40,00 (inteira) R$ 20,00 (meia)

Classificação indicativa: Livre

Teatro Galpão  - Ingressos disponibilizados

Vendas:  65 on line  - 39 bilheteria física no local do evento

Novidades


Teatro

Osdramátikos

Osdramátikos

De 31/03 a 31/03 - 19:00 às 21:00

Mais informações

Teatro

Enluarada

Enluarada

De 08/03 a 08/03 - 19:00 às 20:00

Mais informações

circo

Varieté Mulher do Mundo

Varieté Mulher do Mundo

De 08/03 a 08/03 - 19:00 às 20:00

Mais informações

Espaço Cultural Renato Russo

Quadra 508 Sul
Via W3 Sul — Brasília, DF

Horário de funcionamento:
Terça a Sábado das 10h às 20h
Domingo das 10h às 19h

Siga-nos